segunda-feira, 27 de julho de 2009

19 de Julho – O Regresso...


Começamos o dia bem cedinho, mas não cedo o suficiente, uma vez que perdi o 1º avião… :) (reincidente)
Mais uma vez perdi o avião, paguei excesso de peso (oops!) e perdi 1 mala… fora mais algumas peripécias pelo meio…Por favor da próxima vez coloquem-me 1 carimbo na testa ou ponham-me 1 pulseirinha e reencaminhem-me para Portugal… mesmo com pagamento no destino…:)

Obrigada Catarina, por manteres a calma por mim e pelo apoio moral! :)

A chegada…



Palavras para quê??? :)

Blanko Beach Party (18 Julho 2009 )


Aniversário para uns…despedida para outros!


Esta festa marca o fim de uma etapa… Novas etapas se seguirão nas nossas vidas… espero que os nossos caminhos se voltem a cruzar! :)


Muita sorte a todos!



Momentos para recordar...
Tapinha para vocês!;)

sexta-feira, 24 de julho de 2009

24 Julho 2009 – Monastir…um olhar à distância…

6 meses de uma vida resumidos em poucos slides… À distância Monastir tem outras cores…Não é saudade, nem mesmo nostalgia… talvez um dia o será, mas tenho de me esquecer das coisas menos boas e o choque cultural (mais mental!) vivido em certos momentos do dia-a-dia.
Se voltarei? Talvez um dia, como respondi durante os últimos dias a muitos curiosos que me questionavam. Mas não será em breve, isso eu sei!

Não digo até nunca, pois é medida que não existe, mas sim um até sempre, ou mesmo um “até breve”, nem que este “breve” seja tardio.
video

terça-feira, 14 de julho de 2009

Festival International de Musique Symphonique d’El Jem – 11 Julho

Com a chegada do Verão, também aqui a oferta cultural se diversifica. Temos muito mais o que visitar e eventos onde ir…
Foi o 2º fim-de-semana do Festival International de Musique Symphonique d’El Jem. Infelizmente não deu para ir ao primeiro, que deve ter sido qualquer coisa, uma vez que era a abertura e os bilhetes esgotaram… mas este deixou-me surpreendida, não só pelo facto de decorrer dentro do coliseu, mas também porque a qualidade superou as expectativas!
Na noite deste sábado a orquestra vinha de Itália e como convidada havia uma tunisina, "Yasmine" , que tocava violino. Claro que sempre que a "Yasmine" entrava em palco as paredes do coliseu quase tremiam (exagero...só 1 bocadinho...:) ), não sei se pelo vestido decotado em corte de sereia, com tons de azul marinho e azul turquesa...ou se verdadeiramente pelos dotes musicais da "piquena"!:) Eu acho que ambas as coisas ligavam bem... :)
Deixo-vos um dos momentos mais bonitos do espectáculo no coliseu d’El Jem (mas sem "Yasmine"!).

Obrigada Ana! Adorei!

Muito bonito!

video

(Digam lá se não se sentem invadidos por este momento cultural?! :) )

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Convites que não se devem recusar! (07 Julho)


Na Tunísia, quando nos convidam para ir a sua casa, significa que já demos um grande passo na consideração e confiança da pessoa . Tanto que já estamos aptos a conviver com os seus e a viver as suas tradições…


Tal como os presentes e comida que nos oferecem, ficam tristes e levam a mal se recusamos…


E depois de um convite tão simpático, efusivo e em cima da hora…como reagir?!


Fui apanhada de surpresa, quando o Sr. Raouf me convidou para dali a 40 minutos me ir buscar a casa para festejar com os seus familiares a circuncisão de um dos seus sobrinhos pequenos.


Num curto espaço de tempo veio-me tudo à cabeça, as histórias de um só prato para 12 pessoas, 1 só copo, e mais a multidão (porque aparentemente insignificante, a festa da circuncisão é um momento muito importante na vida de um muçulmano, que reúne toda a família e mais não sei quantos amigos e conhecidos) de gente que não conhecia.


Ainda demorei a dar minha confirmação para a festa, fazendo várias perguntas, como era a tradição, o que implicava, mas ao fim de 5 minutos já era demasiado tempo…sorri e perante tanta expectativa…. Aceitei! Foi inevitável, pois senti que era importante para o Sr. Rouf e ele fazia muita questão, mesmo!



A festa:

Uma pequena multidão…homens, mulheres e crianças... muitas crianças… Acho que nunca vi família tão grande, tendo em consideração que o Sr. Raouf só me falava em primos, primas, sobrinhas (os)….


Não é preciso grandes requintes para se fazer a festa, que começa por um passeio de “caleche” para menino circuncidado e alguns familiares (penso que as duas senhoras de idade seriam avós e alguns dos priminhos pequenos) e o resto da multidão á frente, atrás e por todos os lados a dançar, a cantar, a conversar ou simplesmente a curtir o momento…


Faz-se um pequeno tour pelos quarteirões mais próximos da pequena aldeia, soam os “jambés”, os “Bendir(es?)” (obrigada Joaninha, se não fosses tu nunca saberia o nome daquilo, agora só tens de me ensinar o plural!:)), o clarinete (espécie de) em madeira, muito típico por cá e as ladaínhas imperceptíveis para quem não entende nada de árabe. Mas é alegre!
Normalmente as pessoas, têm um rosto triste e bastante carregado, mas nas festas…são uns verdadeiros “festivaleiros”, como diria alguém que conheço! :)


As “Madames” e “gazelles”, vão com os seus trajes mais bonito e algumas de salto alto e bem fininho, tatuadas nas mãos e nos pés. Os homens…bem, passemos à frente as bermudas e os chinelos de meter o dedo!:)



A festa prolonga-se até bem tarde, mas acabei por ficar pelo cuzcuz extra picante de “mouton”, o qual o Sr. Raouf fez o favor de tirar do meu prato.


Nota: Aqui a colher é o talher mais importante… Há mesmo restaurantes que só trazem garfos e facas quando solicitado (e por vezes demoram a trazer, ou fazem-se de esquecidos, porque não percebem para que os queremos:)).


Não quis fazer feio por isso fui , mas também não faria muito sentido ficar para além do jantar, uma vez que seria um serão ao ar livre de conversas em tunisino.


Depois de muitos cortes e de ter comprimido ao máximo o ficheiro, ficam aqui alguns retalhos desta festividade!:)


video

terça-feira, 7 de julho de 2009

07 de Julho: Hena Tatoo (“Hena Harkouss”)

Para afastar o mau olhado, para atrair a sorte, ou apenas para celebrar ocasiões de festa (casamentos, noivados, baptizados), as tatuagens de henna estão entranhadas não apenas na pele, mas também na cultura.
Símbolo de feminilidade e vaidade, “é tradicional” dizem-me quando pergunto, mas não sabem exactamente a proveniência *. Na minha pequena pesquisa obtive algumas respostas interessantes, embora a amostra seja pouco ou nada significativa da população tunisina (3 pessoas), mas para o qual não seriam necessárias mais, uma vez que basta dar um passeio pelas ruas para constatar que “las hay, las hay”! E agora no Verão em que há um casamento todas as noites e mais umas não sei quantas festas, é obrigatório... :)

(Algumas respostas)

É bonito e com um odor agradável” (a mim cheira-me a fósforo queimado depois de metido em água :) )

“É tradicional!”
“Quando estava grávida fiz muitas vezes, pois o cheiro fazia-me sentir bem”


“Porque é bonito e porque gosto”

É bonito!”

Obviamente que se fossemos fazer um gráfico de respostas, o “é bonito” teria uma percentagem significativa.
Com duração variável de acordo com a qualidade da hena; podem durar entre uma a três semanas.

Como interessada nesta cultura, obviamente que já experimentei, e admito que já fui tatuada com henna de 2 e 5 estrelas! :)



Por 3DT faz-se uma tatuagem bem gira, excepto os verdadeiros turistas, q normalmente são muito bem “aproveitadinhos” e pagam mais um bocadinho … :)

Mas a Hena tradicional, usada pelas mulheres mais velhas, ou mesmo nas festividades, não são iguais aos desenhos florais que os turistas procuram. As tradicionais e feitas em casa pelas mulheres tunisinas traduzem-se muitas vezes em solas dos pés completamente pretas ou castanho/avermelhadas e unhas e pontas dos dedos avermelhadas.


Dependendo do sentido de estética e mesmo a forma como estão desenhadas podem representar autênticas obras de arte ou para quem não está habituado (eu no início) apenas sujidade visual.

Deixo aqui algumas fotos da minha experiência pessoal (de amadora e “turista” residente) e de uma pessoa local, porque apesar de eu achar que nela ficava bonito e se enquadrava no contexto, eu não seria capaz de o fazer. Foi por achar exótico e perfeitamente enquadrado (“C’est três joli” !;) ) que decidi colocar este post….




(Acho que dá para perceber quem é amador e quem já tem muitos anos de hena!!! ;)


*Breve nota histórica:
Tendo registos históricos que datam de há 5000 anos atrás, na época dos faraós, esteve sempre associada a superstições. Pensa-se que tenha sido difundida posteriormente para a Índia e países do Norte de África.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

21 de Junho - Domingo de despedidas...



21 de Junho... Foi o último dia de férias do Marco e também o último dia dele em Monastir e na Tunísia. Foi um dia tranquilo e para que as coisas boas prevaleçam fizemos um pequeno tour pelo centro da cidade de Monastir e pela marina. Almoçamos no restaurante “El Alhambra”, pois estávamos já com saudades de um bom “spaghetti au fruit de mer” e vegetamos um pouco na esplanada do “surfing café”, mesmo em frente ao mar, na companhia da Najoua e do Mehdi.



Foi um dia duro, não apenas pelo ar rarefeito do calor, mas também porque era um dia de arrumar malas e partir.



Ao ver agora toda a gente a partir e certa que até voltar não terei mais visitas, fica um vazio e uma enorme vontade de fazer malas e partir, quanto mais não seja só para matar saudades! :)



Até breve!